Loading


ATENDIMENTO AO CLIENTE
FONE: 11-3461-8060



Especialidades


Conte-nos o seu caso
Nome:
E-mail:

Cidade:

Descreva aqui seu caso:

O PONTO COMERCIAL E OS DIREITOS DOS COMERCIANTES - RENOVAÇÃO DA LOCAÇÃO - INDENIZAÇÃO - DENÚNCIA VAZIA :::

O PONTO COMERCIAL E OS DIREITOS DOS COMERCIANTES - RENOVAÇÃO DA LOCAÇÃO - INDENIZAÇÃO - DENÚNCIA VAZIACom o aquecimento da economia, ficou cada vez mais concorrida a disputa por bons pontos comerciais, o que resultou na elevação considerável dos aluguéis, bem como no aumento de ações de despejo por denúncia vazia.


Muitos comerciantes com contratos antigos, muitas vezes, já vencidos, estão tendo grandes dificuldades para manterem o ponto comercial, visto que os proprietários dos imóveis, cientes da desatualização dos aluguéis fixados em contrato, passaram a exigir consideráveis reajustes, sob pena de retomada do imóvel, através de ação de despejo imotivada.


Perante os ditames da Lei do Inquilinato, o contrato de locação comercial somente será renovado judicialmente através de ação renovatória, isso, se preenchidos os requisitos legais positivados no artigo 51 da Lei 8245/91, que determina:


"Art. 51. Nas locações de imóveis destinados ao comércio, o locatário terá direito a renovação do contrato, por igual prazo, desde que, cumulativamente:
I - o contrato a renovar tenha sido celebrado por escrito e com prazo determinado;
II - o prazo mínimo do contrato a renovar ou a soma dos prazos ininterruptos dos contratos escritos seja de cinco anos;
III - o locatário esteja explorando seu comércio, no mesmo ramo, pelo prazo mínimo e ininterrupto de três anos."


Tal direito deverá ser exercido dentro do prazo legal positivado no § 5º, do artigo 51 da citada norma, que segue:


"§ 5º Do direito a renovação decai aquele que não propuser a ação no interregno de um ano, no máximo, até seis meses, no mínimo, anteriores à data da finalização do prazo do contrato em vigor."


Entretanto, muitas vezes, os comerciantes, por desconhecerem os seus direitos, não preenchem os requisitos legais, colocando o bem mais valioso de seu negócio - o ponto comercial - em risco.


Caso não observada as regras aplicáveis à renovação de contratos de locação comercial, o comerciante será obrigado a entrar em composição com o proprietário do imóvel, normalmente, em grande desvantagem, sob pena de perda do ponto comercial.


Vale destacar que, em caso de perda do ponto comercial através de ação de despejo por denúncia vazia, em regra, o comerciante não terá direito a nenhuma indenização, seja pelo ponto, seja por possíveis melhorias que tenha feito no imóvel, o que resultará em grandes perdas financeiras, chegando, até mesmo, ao encerramento das atividades.


Diante disso, imprescindível que seja observado o que manda à norma aplicável, garantindo a continuidade do ponto comercial, bem como evitando grandes prejuízos pela sua inobservância.


Visando a garantia do ponto comercial, bem como a ciência dos comerciantes e empresários, destacam-se as seguintes considerações:


I – Contrate um advogado especializado em contratos imobiliários;
II – Alugue o imóvel pelo período mínimo de cinco anos para ter direito ao pedido de ação renovatória;
III – Fique atendo ao prazo para ingresso da ação renovatória;
IV - Mantenha um ótimo relacionamento com o proprietário do imóvel;
V - Pague o aluguel e as demais despesas em dia;
VI – Verifique o zoneamento urbano antes de alugar o imóvel, garantindo a regularização da atividade pretendida;
VII – Verifique a regularidade predial do imóvel a ser locado, pois, irregularidade poderá impedir a obtenção de alvará de funcionamento.


Respeitadas as formalidades acima elencadas, o comerciante terá meios para garantir os seus direitos, usufruindo do aquecimento vertiginoso da economia com segurança, gerando, cada vez mais, empregos e riqueza para o país.


Autor:


Dr. Héctor Luiz Borecki Carrillo, advogado especialista em Direito Imobiliário, sediado em São Paulo - SP. OAB/SP n. 250.028.

 

Leia nossos artigos:


- Como comprar imóveis com segurança

Para não correr tal risco, é de suma importância levantar todas as informações sobre o bem e sobre os proprietários antes do pagamento do preço. As precauções podem ser resumidas da seguinte forma. Leia mais


- Como assinar um contrato com segurança
A presença de um advogado especializado em contratos é imprescindível, mas, caso você não conte com um profissional, não deixe de agir com prudência e segurança, tomando as seguintes medidas. Leia mais


- O Usucapião e a regularização de imóveis
O processo de usucapião possibilita adquirir a propriedade por quem exerceu a posse, pelo tempo, com vontade de ser dono e sem oposição. Leia mais


- Ponto comercial e a renovação do contrato de locação
Muitos comerciantes com contratos antigos, muitas vezes, já vencidos, estão tendo grandes dificuldades para manterem o ponto comercial. Leia mais


- Cuidados ao escolher o ponto comercial
Antes de adquirir ou locar o imóvel onde será criado o ponto comercial, há que tomar algumas precauções, tais como: Leia mais


- Extinção de condomínio sobre bem imóvel
Logo, tratando-se de imóvel indivisível, e não pretendendo continuar com a comunhão, o có-proprietário tem meios legais para requerer a extinção do condomínio, requerendo, para tanto, a alienação judicial do imóvel e benfeitorias, caso existentes. Leia mais


- A policia e o dever de coibir a poluição sonora
Segundo, torna-se imperioso destacar o artigo 42 do Decreto-Lei 3688/41, conhecido por Lei das Contravenções Penais, que prevê a infração penal de perturbação de sossego ou trabalho alheios, in verbis: Leia mais


Venda de loteamento não registrado provoca a indenização por danos materiais, lucros cessantes e a rescisão do contrato de compra e venda
Dentre as dezenas de consumidores ludibriados, os adquirentes, acreditando na credibilidade passada pela empresa, que já havia realizado outros loteamentos na região, que garantiu que, em poucos meses, o empreendimento estaria formado, com portarias, ruas calçadas, guias, águas, luz e demais benfeitorias, o que levaria ao prometido e natural ganho de capital. Saiba mais










Av. Angélica 1814, CJ 607 - Higienópolis | CEP: 01228-200

EXPLORE NOSSO SITE
     
ACESSO RÁPIDO SAIBA COMO LINKS ÚTEIS
     
AÇÃO DE USUCAPIÃO - REQUISITOS ASSINAR CONTRATOS COM SEGURANÇA SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL
ANÁLISE DE RISCOS - COMPRA E VENDA NÃO PERDER O PONTO COMERCIAL SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA
COBRANÇA JUDICIAL COMPRAR IMÓVEIS COM SEGURANÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA - SÃO PAULO
LEILÕES DE IMÓVEIS COMPROVAR SOCIEDADE DE FATO  
COMPRA DE IMÓVEIS - CERTIDÕES COMO ENCONTRAR PROCESSOS JUDICIAIS NA INTERNET